Dilma critica programa de Marina sobre conteúdo local para indústria

domingo, 31 de agosto de 2014 20:19 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição pelo PT, criticou neste domingo parte do programa de governo da candidata Marina Silva (PSB), lançado na última sexta-feira, dizendo estar "muito preocupada" com o texto que trata de exigências de conteúdo nacional para a indústria, especialmente a automobilística e a naval.

"Eu fico muito preocupada e queria dizer para vocês que não fui eleita para desempregar ou para reduzir a importância da indústria, principalmente aquela que pode ser uma indústria que tenha uma grande absorção de tecnologia e inovação", disse a presidente num pronunciamento a jornalistas no Palácio da Alvorada.

"Minha proposta sempre vai ser criar empregos e assegurar que esses empregos sejam cada vez mais qualificados", disse, citando como exemplo do sucesso das exigências de conteúdo nacional a chegada de grandes montadoras de veículos ao país, como as alemãs BMW e Audi e a japonesa Nissan.

O programa de Marina diz ser preciso revisar todos os casos de proteção à indústria nacional.

"Outra indispensável ação da política industrial será a revisão em profundidade de todos os programas atuais que demandem incentivos e proteção, incluindo os casos em que é aplicada a política de 'conteúdo nacional'. Esta envolve diversos e relevantes setores industriais, como petróleo e indústria automobilística", diz o programa no capítulo "Economia para o desenvolvimento sustentável".

"Nesses e em outros casos se avolumam reclamações de ambos os lados: os possíveis beneficiários se queixam porque os requisitos de produção local não seriam realmente respeitados, enquanto os agentes aos quais cabe seguir os limites de produção nacional alegam a impossibilidade de atendimento das exigências. Nunca é demais enfatizar que as políticas de proteção e de conteúdo local só são efetivas enquanto constituírem casos especiais, e não a regra da política industrial",continua o programa.

Pesquisa Datafolha divulgada na sexta-feira mostrou que a presidente perdeu pela primeira vez a liderança isolada das intenções de voto para o primeiro turno. Na sondagem, Dilma e Marina têm 34 por cento cada uma, bem à frente do terceiro colocado, Aécio Neves (PSDB), com 15 por cento.

Simulação do segundo turno, porém, mostra vitória de Marina por 50 a 40 por cento.

(Reportagem de Silvio Cascione)