Aécio reconhece que já esteve mais confortável; diz que propostas de Marina são "inexequíveis"

quinta-feira, 4 de setembro de 2014 07:24 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, reconheceu que já esteve em situação mais confortável na disputa pelo Planalto, e afirmou que as promessas feitas pela adversária Marina Silva (PSB) são "inexequíveis".

Em entrevista ao Jornal da Globo que foi ao ar na madrugada desta quinta-feira, Aécio repetiu por diversas vezes que, se eleito, trará "previsibilidade" à economia, defendeu ser necessário soltar a "tampa da panela de pressão" dos preços represados com regras claras de reajuste, e prometeu que não será o presidente que tirará direito dos trabalhadores.

"Reconheço que hoje nós não temos uma situação tão confortável como tínhamos 30 dias atrás", disse o tucano ao ser questionado sobre sua posição nas mais recentes pesquisas de intenção de voto, nas quais aparece em terceiro lugar.

Pesquisas do Ibope e do Datafolha divulgadas na quarta mostraram o candidato do PSDB em uma distante terceira posição, enquanto a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, e Marina disputam a liderança em empate técnico.

Aécio voltou a dizer na entrevista que Dilma será derrotada nas eleições de outubro e, como tem feito nos últimos dias, continuou a subir o tom contra Marina, que tornou-se figura central na disputa ao assumir a cabeça de chapa do PSB com a morte de Eduardo Campos em um acidente aéreo em agosto.

O tucano disse ter dúvidas sobre a "consistência" das propostas da candidata do PSB.

"Temos uma nova candidata que se apresenta com um conjunto de propostas absolutamente inexequíveis do ponto de vista prático e terá de explicar isso. O custo das propostas já anunciadas até aqui, fora as que certamente ainda virão durante a campanha, significa um aumento de gastos de 150 bilhões de reais ao ano, 3 por cento do PIB", disse Aécio.

"Só tem uma forma de se fazer isso: aumentando a carga tributária, que ela já disse que não vai acontecer. Então esse conjunto de propostas poderá se transformar amanhã em uma grande frustração da sociedade brasileira."

  Continuação...

 
Candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, em debate na Band, em São Paulo. 26/08/2014  REUTERS/Paulo Whitaker