Apple lança iPhones maiores e relógio inteligente em evento na Califórnia

terça-feira, 9 de setembro de 2014 16:28 BRT
 

CUPERTINO Califórnia (Reuters) - A Apple lançou nesta terça-feira seu relógio inteligente "Apple Watch" junto a dois novos iPhones com telas maiores e de maior definição, considerando os aparelhos como novo capítulo da história da empresa.

O primeiro novo produto desenvolvido e introduzido pelo presidente-executivo Tim Cook é um aparelho ligado ao iPhone que combina acompanhamento de saúde e exercícios com comunicações.

O relógio inteligente será vendido por preço inicial de 349 dólares e estará disponível no início de 2015.

Gigantes dos eletrônicos concorrentes como Sony, Samsung, LG Electronics e Qualcomm já lançaram relógios inteligentes, sem muito sucesso.

A maior companhia de tecnologia do mundo ficou sob pressão para impressionar em seu "evento especial" em Cupertino. A perspectiva do lançamento do relógio atraiu um público mais amplo que o usual, com celebridades, editores da indústria de moda e até mesmo executivos de saúde entre o público composto majoritariamente por profissionais de tecnologia.

A companhia lançou seu iPhone 6, de 4,7 polegadas, e o iPhone 6 Plus, de 5,5 polegadas. Eles poderão operar com mais de 200 empresas de telecomunicações em todo o mundo, incluindo três na China -- mercado-chave para a companhia.

A empresa também introduziu um novo serviço de pagamentos móveis chamado "Apple Pay". Cada telefone virá equipado com novos serviços de pagamentos, que serão lançados nos Estados Unidos no mês que vem e permitem aos usuários pagar por itens nas lojas com telefones em vez de cartões de crédito ou débito.

Em uma rara decisão da companhia, a Apple transmitiu o evento ao vivo pela Internet, com tradução simultânea em chinês. Mas a transmissão caiu para muitos usuários por cerca de meia hora, fazendo muitos expressarem sua frustração no Twitter.

(Por Christina Farr, Alexei Oreskovic e Deepa Seetharaman)

 
Phil Schiller, vice-presidente da Apple, durante lançamemto do iPhone 6 e iPhone 6 Plus em Cupertino. 09/09/2014 REUTERS/Stephen Lam