Dólar sobe 1% ante real pelo segundo dia, com foco no Fed e eleições

terça-feira, 9 de setembro de 2014 17:34 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou com alta de cerca de 1 por cento ante o real nesta terça-feira pelo segundo dia consecutivo, diante de temores renovados de que os juros nos Estados Unidos possam subir antes do esperado, enquanto investidores aguardam as próximas pesquisas eleitorais no Brasil.

A moeda norte-americana subiu 0,91 por cento, a 2,2862 reais na venda, maior cotação de fechamento em duas semanas, depois de avançar 1,16 por cento na véspera. Na máxima da sessão, o dólar chegou a ser cotado a 2,2935 reais.

Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,1 bilhão de dólares.

"Tudo que tivemos no fluxo de notícias, seja aqui ou lá fora, contribuiu para levantar o dólar", resumiu o operador de câmbio da corretora Intercam Glauber Romano.

O Federal Reserve de San Francisco publicou na véspera estudo mostrando que investidores precificam juros baixos por mais tempo e aperto monetário mais lento do que esperam os próprios integrantes do banco central norte-americano.

Economistas das principais instituições de Wall Street, por exemplo, projetam a primeira alta de juros no terceiro trimestre de 2015, com as taxas fechando 2015 a 0,75 por cento e 2016 a 2,13 por cento, segundo o estudo. Já as autoridades do Fed veem os juros a 1 por cento no final do ano que vem, chegando a 2,5 por cento no fim de 2016.

O documentou impulsionou a moeda dos EUA em escala global, uma vez que juros norte-americanos mais altos poderiam atrair recursos atualmente aplicados em outros mercados. No exterior, pesavam ainda preocupações com a possibilidade de a Escócia votar a favor da independência do Reino Unido.

"Nos mercados de câmbio, hoje o foco está na política monetária global e no Reino Unido", escreveram analistas do Scotiabank em relatório.   Continuação...