Banco Central desiste de processo contra ex-diretor Schwartsman

terça-feira, 9 de setembro de 2014 21:02 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central voltou atrás nesta terça-feira e decidiu não prosseguir com um processo contra um economista e ex-diretor da entidade que disse que a autoridade monetária brasileira foi "incompetente" e "subserviente" à presidente Dilma Rousseff.

O BC disse que não vai recorrer da decisão em primeira instância da Justiça Federal que recusou uma ação movida 16 de maio contra Alexandre Schwartsman, ex-diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central e sócio da consultoria Schwartsman & Associados.

Em comentários publicados na segunda-feira pelo jornal Valor Econômico, o procurador-geral do Banco Central, Isaac Sidney Menezes Ferreira, tinha dito que iria recorrer da decisão porque os comentários de Schwartsman tinham a intenção de "manchar" a imagem e a honra do BC.

O caso é o mais recente embate público entre o governo da presidente Dilma e economistas de mercado, que criticam o que consideram políticas intervencionistas que empurraram a economia para a recessão.

Em julho, o Santander Brasil foi criticado por autoridades do Partido dos Trabalhadores e pela própria presidente, após o banco enviar nota a clientes sugerindo que o rali dos preços dos ativos brasileiros iria ser interrompido se a presidente se recuperasse em pesquisas de intenção de voto.

O Santander Brasil demitiu pelo menos um analista devido ao incidente.

Os principais conselheiros econômicos dos candidatos da oposição Marina Silva (PSB) e Aécio Neves(PSDB) assinaram uma petição pública classificando a ação de "ato de repressão ... que mina a democracia e suas instituições."

O ex-secretário-executivo da Fazenda Nelson Barbosa, cotado para assumir o comando da pasta num eventual segundo mandato, também assinou a petição.

"Nunca antes o Banco Central tentou processar um economista por suas opiniões. O BC tem de respeitar todas as opiniões", disse à Reuters Carlos Thadeu de Freitas, ex-diretor do Banco Central. "Isso foi um erro."   Continuação...