Venezuela prende 64 por protestos contra Maduro, diz grupo de direitos humanos

sábado, 13 de setembro de 2014 17:10 BRT
 

CARACAS (Reuters) - As forças de segurança venezuelanas detiveram 64 pessoas durante manifestações contra o governo do presidente Nicolás Maduro na capital Caracas, bem como na cidade de Barquisimeto, afirmou um grupo de direitos humanos neste sábado.

As detenções foram feitas na sexta-feira, quando os manifestantes, a maior parte deles estudantes, organizaram protestos para coincidir com os sete meses desde 12 de fevereiro, quando teve início uma grande onda de manifestações no país.

"Os protestos vêm perdendo força, mas ainda acontecem esporadicamente, como vimos ontem. Obviamente o descontentamento continua", disse à Reuters Alfredo Romero, diretor do grupo Penal Forum, acrescentando que 47 pessoas foram presas em Caracas e 17 em Barquisimeto.

O governo venezuelano não deu números para as prisões na sexta-feira, mas Maduro ordenou à polícia e soldados da Guarda Nacional que mostrassem tolerância zero com desordeiros.

O sucessor do falecido Hugo Chávez diz que os protestos são promovidos por políticos da oposição e apoiados pelos Estados Unidos para desestabilizar seu governo socialista.

As demandas dos manifestantes vão desde a renúncia de Maduro a correções para os problemas econômicos que incluem a maior inflação da região e escassez de bens básicos de consumo, como leite e peças automotivas.

(Por Andrew Cawthorne)