Financiamento automotivo deve ter crescimento zero em 2015, diz Banco Votorantim

quarta-feira, 5 de novembro de 2014 20:36 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco Votorantim, líder do mercado de financiamento de automóveis usados no país, previu nesta quarta-feira que terá crescimento zero da sua carteira de crédito automotivo em 2015.

"Nosso cenário base é de manutenção do atual nível dessa carteira no ano que vem", disse a jornalistas o presidente-executivo do banco, João Teixeira.

A previsão vem num momento de retração do setor no Brasil. Na segunda-feira, a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) informou que as vendas de veículos novos no Brasil em outubro caíram 7 por cento no comparativo anual. A previsão da entidade é de queda de até 6 por cento no acumulado do ano.

Controlada pela família Ermírio de Moraes e pelo Banco do Brasil, com 50 por cento cada, a instituição se recupera dos efeitos de uma safra ruim de crédito que a levaram um prejuízo líquido acima de 3 bilhões de reais de 2011 a 2013.

Nesta quarta, o Banco Votorantim anunciou lucro líquido de 135 milhões de reais entre julho e setembro, o quarto trimestre seguido no azul. Os resultados positivos têm sido acompanhados de contínua redução na carteira de crédito, em meio aos esforços do banco para se concentrar em operações mais seguras.

No fim de setembro, a carteira ampliada do banco somava 67,7 bilhões de reais, queda de 7,4 por cento em 12 meses. A linha de financiamento automotivo, a mais importante, recuou 1,7 por cento, a 29,3 bilhões de reais.

Segundo Teixeira, iniciativas adotadas pelo Banco Central em agosto, incluindo flexibilização nas exigências dos depósitos compulsórios dos bancos, para entre outras coisas incentivar o financiamento automotivo, não beneficiou o banco.

"A regra ajudou nossos concorrentes", disse Teixeira. Para o Banco Votorantim, a cessão de carteiras, uma operação que poderia obter o benefício das medidas do BC, não compensa.

  Continuação...