Modi diz a Putin que Rússia continuará como principal parceira de defesa da Índia

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014 12:03 BRST
 

Por Douglas Busvine e Denis Dyomkin

NOVA DÉLHI (Reuters) - O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, disse ao presidente russo, Vladimir Putin, nesta quinta-feira, que a Rússia continuará sendo a principal fornecedora da Índia no setor de defesa, embora as opções de Nova Délhi tenham aumentado desde o final da Guerra Fria.

Modi se pronunciou depois de uma cúpula de um dia que teve por objetivo ressuscitar uma relação que chegou ao auge na era soviética. Durante o encontro, os dois lados assinaram acordos de bilhões de dólares em energia nuclear, petróleo e cooperação de defesa.

Nos casos mais significativos, a estatal russa Rosatom irá construir 12 reatores nucleares na Índia, a gigante energética Rosneft firmou um pacto com a Essar Oil para fornecer um suprimento de petróleo durante 10 anos e a Rússia prometeu fabricar helicópteros avançados na Índia.

“Embora as opções da Índia tenham aumentado, a Rússia continua sendo nossa parceira mais importante na defesa”, disse Modi, de 64 anos, a repórteres depois da primeira cúpula formal entre os dois líderes desde que Modi venceu a eleição de maio.

A visita de Putin acontece no momento em que o Kremlin se vê às voltas com a queda no preço do petróleo e com uma economia enfraquecida, que aprofundaram o impacto das sanções ocidentais resultantes de sua anexação da península ucraniana da Crimeia e de seu apoio ao levante separatista no leste da Ucrânia.

A tensão do conflito ucraniano se intrometeu na visita à Índia quando veio à tona que o líder da Crimeia, apoiado por Moscou, viajou na delegação de Putin para o que se chamou de conversas extra-oficiais para reforçar os laços comerciais.

“Valorizamos muito a amizade, a confiança e a compreensão mútua dos parceiros indianos”, afirmou Putin, que tratou de temas bilaterais em seu comunicado aos jornalistas, que não tiveram permissão de fazer perguntas.

Os dois líderes acompanharam a assinatura de um documento “de visão” que delineia o andamento da cooperação na esfera da energia nuclear. Putin afirmou haver a possibilidade de a Rússia fornecer 20 reatores nucleares à Índia.

No setor de defesa, os dois parceiros tentarão destravar projetos há muito adiados para desenvolver conjuntamente uma quinta geração de caças e uma aeronave de transporte de múltiplas funções, além dos helicópteros avançados mencionados por Modi.

 
Presidente russo, Vladimir Putin, e premiê da Índia, Narendra Modi, em Nova Délhi. 11/12/2014 REUTERS/Ahmad Masood