Maior porto de exportação de petróleo da Líbia é fechado devido a conflitos

domingo, 14 de dezembro de 2014 11:00 BRST
 

BENGHAZI, Líbia (Reuters) - O maior porto de exportação de petróleo da Líbia, Es Sider, foi fechado devido a combates nas proximidades entre as forças que representam os governos concorrentes do país, disse uma autoridade do setor no domingo.

Ataques aéreos no sábado por forças leais ao governo reconhecido da Líbia atingiram alvos perto do porto, com o objetivo de parar um avanço por tropas da administração rival em Trípoli, buscando assumir o controle de instalações de petróleo no leste do país.

Os confrontos continuavam perto de Es Sider, informou neste domingo o canal de TV al-Nabaa, baseado em Trípoli, acrescentando que uma força aliada ao governo na capital estava nos portões do terminal.

O porto Ras Lanuf, a leste de Es Sider, ainda estava operando, mas a al Waha Oil Co que administra o Es Sider havia paralisado os trabalhos, disse a autoridade. Um trabalhador disse que os funcionários haviam deixado o local por razões de segurança.

A empresa vinha produzindo cerca de 200.000 barris por dia, mostraram dados da estatal National Oil Corp apresentados no início deste mês. A estatal já havia estimado anteriormente a produção do país membro da Opep em torno de 755 mil bpd, embora isso inclua cerca de 140 mil bpd de produtos refinados parcialmente consumidos localmente.

A indústria de petróleo da Líbia tinha visto uma modesta recuperação desde uma onda de protestos até o mês passado, quando o campo de petróleo El Sharara, de 340 mil bpd, no sul, foi fechado devido a confrontos.

Os combates próximos ao porto Es Sider são parte de uma disputa no país norte-africano entre os governos concorrentes aliados a facções armadas, três anos e meio após a derrubada de Muammar Gaddafi.

(Reportagem de Ulf Laessing e Ayman al-Warfalli)