Demissões na Volkswagen em SP não contaminarão setor automotivo, diz Anfavea

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015 18:22 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - As demissões de 800 funcionários anunciadas pela Volkswagen em São Bernardo do Campo (SP) são pontuais e não devem se espalhar para outras montadoras instaladas no país, disse o presidente da associação de fabricantes de veículos, Anfavea, Luiz Moan, nesta quarta-feira.

“É um processo independente, pontual, que é objeto de negociação entre empresa, trabalhadores e sindicato e temos convicção que rapidamente as partes chegarão a um novo acordo”, declarou Moan, acrescentando que até o momento não há informações de outros casos dessa natureza.

Na última terça-feira, a montadora alemã anunciou a demissão de 800 empregados de sua fábrica em São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo, e indicou que novos cortes poderão ocorrer tendo em vista o mau momento do setor automotivo. Como resposta, trabalhadores da fábrica decidiram por greve por tempo indeterminado.

Moan avaliou, juntamente com o ministro do Trabalho, Manoel Dias, que há tempo necessário para que as partes se ajustem e negou que a Anfavea tenha pedido eventual ajuda do governo federal para resolver a situação.

O presidente da Anfavea participou da posse do novo ministro do Desenvolvimento e Comércio Exterior (MDIC), Armando Monteiro, que afirmou que "não há muito problema de caráter sistêmico que justifique uma ação do governo" sobre as demissões na Volkswagen.

Segundo Monteiro, o governo federal manterá acompanhamento do processo, mas descartou uma intervenção sobre as demissões.

VENDAS

Ainda de acordo com Moan, o desempenho do setor automotivo no mercado interno em 2015 deve ser similar ao observado no ano passado, com a indústria apostando em um crescimento das exportações ao mercado externo.   Continuação...