Ursos polares migram para ilhas no norte do Canadá em busca de gelo duradouro

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015 10:44 BRST
 

Por Steve Quinn

JUNEAU, Estados Unidos (Reuters) - Alguns grupos de ursos polares já se movem lentamente para ilhas ao norte do território continental do Canadá por se tratar de uma região que está retendo o gelo do Ártico por mais tempo, de acordo com um novo estudo científico prevendo que a migração, ligada à mudança climática, vai continuar.

O estudo publicado no início deste mês na revista PLOS ONE se baseou em DNA retirado de cerca de 2.800 ursos polares em países onde os animais vivem: Estados Unidos, Rússia, Canadá, Dinamarca (na Groenlândia) e Noruega.

Os pesquisadores acompanharam a mudança rastreando a similaridade genética em ursos entre quatro regiões.

Grupos de ursos da área ártica ao leste do Canadá, da Sibéria e de uma área marinha mais ao leste da Groenlândia estão seguindo para o conjunto de ilhas canadenses, também conhecido como o Arquipélago Ártico, onde o gelo é mais abundante, segundo o estudo.

Os canais através das ilhas, conhecidos como Passagens Noroeste, são vistos como uma rota potencialmente valiosa à medida que o gelo do Ártico derrete.

A região que tem atraído um número maior de ursos polares se situa ao norte do continente canadense, perto de Nunavut e os Territórios do Noroeste. É composta por mais de 36.000 ilhas e abrange mais de 1,4 milhão de quilômetros quadrados.

Os ursos escolheram essa área porque é "onde o mar é mais resistente ao derretimento do verão por causa dos padrões de circulação, geografia complexa e as latitudes mais frias do Norte", disse a pesquisadora Elizabeth Peacock, do Serviço Geológico dos Estados Unidos.

 
Ursos polares no Alasca, em foto de arquivo. 06/03/20017 REUTERS/Susanne Miller/Divulgação/USFWS