Efeito da nova mistura de etanol no preço da gasolina será quase nulo

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015 18:38 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O aumento da mistura de etanol na gasolina para 27 por cento, ante os atuais 25 por cento, deverá ter efeito praticamente nulo sobre os preços cobrados do consumidor, sem conseguir compensar a alta gerada pelo aumento de impostos sobre a gasolina.

O impacto do aumento da mistura deixaria a gasolina C, vendida nos postos já com mistura de etanol, 0,002 real mais barata, em média em todo o Brasil, segundo cálculos de uma fonte do mercado de combustíveis, que falou na condição de anonimato.

A nova mistura de etanol deverá entrar em vigor em 15 de fevereiro.

Desde 1º de fevereiro, no entanto, já está valendo a nova tributação sobre a gasolina, que elevou o preço em 0,22 real por litro, por meio de cobrança de PIS/Cofins, num primeiro momento e, a partir de maio, por uma combinação de PIS/Cofins e Cide.

Em outras palavras, a redução de preços proporcionada pela mistura do biocombustível mais barato será muito pequena na comparação com o tamanho do aumento de tributação, que já está sendo amplamente repassado aos consumidores.

Além disso, até mesmo essa pequena diferença pode ser anulada, já que o preço do etanol anidro tem subido, devido à expectativa de aumento da demanda.

O indicador semanal de preços à vista do etanol anidro nas usinas de São Paulo, medido pelo Cepea/Esalq, acumula alta de 3,4 por cento só em janeiro.

"O etanol anidro misturado na gasolina já vem subindo de preço nos últimos 30 dias. Tudo bem que está na entressafra, mas também tem a ver com o próprio anúncio do governo de que estava estudando o aumento da mistura", disse a fonte.

Até o aumento de impostos, a gasolina A (pura) estava com preços estáveis nas refinarias. O último reajuste anunciado pela Petrobras havia sido no início de novembro.   Continuação...