Filme sobre estupro coletivo na Índia atiça debate sobre atitude masculina no país

terça-feira, 3 de março de 2015 16:55 BRT
 

NOVA DÉLHI (Reuters) - Um documentário baseado no estupro coletivo fatal de uma mulher em Nova Délhi em 2012 enfatiza a desigualdade de gêneros e os crimes sexuais na Índia, e a aparente falta de remorso dos condenados chocou até mesmo a diretora do filme.

“India's Daughter”, de Leslee Udwin, mostra conversas com Mukesh Singh e outros condenados que estupraram e torturaram uma jovem de 23 anos em um ônibus em movimento em dezembro de 2012, o que desencadeou protestos em todo o país e forçou a Índia a reforçar suas leis contra o estupro.

O filme terá sua estreia mundial no dia 8 de março na Índia, na Grã-Bretanha, na Dinamarca e em outros países simultaneamente por ocasião do Dia Internacional da Mulher.

Os comentários divulgados para a mídia revelam que, no documentário, Singh culpa a vítima pelo crime e por resistir ao estupro.

“Tive um vislumbre e uma compreensão da maneira como ele encara as mulheres. Isso é que é extremamente chocante, não o que ele fez”, declarou Udwin aos repórteres em Nova Délhi nesta terça-feira.

“A atitude de Mukesh é: por que (as pessoas) estão criando tanto caso conosco, todo mundo faz isso”.

Udwin, produtora da cultuada comédia “East is East”, de 1999, e sua sequência, disse ter se inspirado a fazer o filme depois de ver milhares de pessoas tomando as ruas de toda a Índia para se manifestarem contra o estupro coletivo.

A cineasta britânica trabalhou com um jornalista indiano durante dois anos para realizar o documentário de duas horas, selecionado entre 31 horas de entrevistas com os condenados.

(Por Aditya Kalra)

 
Cineasta britânica Leslee Udwin concede entrevista em Nova Délhi. 03/03/2015. REUTERS/Anindito Mukherjee