Morales demite ministro da Defesa por "gafe do colete"

quarta-feira, 1 de abril de 2015 11:57 BRT
 

LA PAZ (Reuters) - O presidente da Bolívia, Evo Morales, demitiu o ministro da Defesa, Jorge Ledezma, após ele ter usado um colete com uma frase que faz referência à reivindicação boliviana a uma parte de litoral enquanto estava em missão humanitária no Chile.

Morales pediu desculpa ao irritado governo chileno após Ledezma vestir o colete, que tinha escrito "O mar é da Bolívia", enquanto entregava 13 toneladas de água potável na região do Atacama atingida por inundações, no norte chileno.

"Primeiramente, peço desculpas ao governo do Chile. Você não pode cometer esse tipo de erro", disse Morales na terça-feira. Ele nomeou o reitor universitário Reymi Ferreira como novo ministro da Defesa.

A Bolívia ficou presa em terra sem acesso ao mar desde os anos 1880, quando perdeu uma pequena faixa na costa do pacífico para o Chile em uma guerra. A nação andina, que ainda preserva sua Marinha, levou o caso à Corte Internacional de Justiça em 2013.

Morales disse que a Bolívia nunca vai desistir de sua campanha para retomar o acesso ao Pacífico. Grande parte das exportações bolivianas tem que passar por portos chilenos.

Mas o presidente disse que Ledezma cometeu um erro.

"Nos arrependemos do que aconteceu. Isto não tem nada a ver com a posição do governo", disse Morales. "Esse é um time político que trabalha junto. Aqui ninguém toma decisões pessoais", completou.

Ferreira, o novo ministro, é advogado e ex-diplomata.

(Reportagem de Daniel Ramos)

 
Presidente da Bolívia, Evo Morales, e o novo ministro da Defesa, Reymi Ferreira, em La Paz. REUTERS/Presidência da Bolívia/Divulgação via Reuters