Novo presidente da CBF diz que seleção tem mais a ensinar do que aprender

quinta-feira, 16 de abril de 2015 18:54 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O novo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero, admitiu nesta quinta-feira, após sua posse, que a derrota por 7 x 1 para a Alemanha foi uma tragédia que ficou marcada no futebol brasileiro, mas acredita que a seleção ainda tem mais a ensinar ao mundo do futebol do que aprender.

Del Nero, de 74 anos, enxerga na nova comissão técnica a possibilidade de recuperar a imagem da seleção e reconstruir um nova história de sucesso.

"Temos que analisar o mundo, mas temos mais para dar do que aprender. Não podemos achar que somos os deuses do futebol porque somos pentacampeões e temos mais títulos. Dunga e Gilmar graças a Deus não pensam assim", afirmou o dirigente a jornalistas na sede da CBF.

Desde que assumiu a seleção após o fracasso na Copa em casa, o técnico Dunga venceu todos os amistosos e bateu adversários como Argentina e França. "O 7 x 1 ficou uma marca. Foi uma tragédia naquele dia. Hoje temos um novo formato e mentalidade", disse ele.

"Olhando o trabalho dele vemos que o Dunga não gosta de colocar sempre os mesmos jogadores mas sim os melhores", completou.

Del Nero tem mandato até 2018. Ao ser questionado o que acha do artigo da MP da dívida dos clubes que impõe limites para a reeleição de presidentes de clubes e federações, ele declarou que esse é um tema que precisa ser bem discutido.

O ex-presidente da Federação Paulista de Futebol lembrou que debate semelhante já aconteceu na Fifa, mas não houve consenso. O presidente da entidade, Joseph Blatter, é candidato a um quinto mandato à frente do órgão que controla o futebol mundial.

"Não sei se sou a favor do limite. Na Fifa se discutiu o tema e não houve definição. Vamos avançar e discutir", declarou.

"Não sou Deus para definir. Temos que ouvir a sociedade e a família do futebol", acrescentou ele, que na posse falou em modernização do futebol brasileiro.   Continuação...

 
Novo presidente da CBF, Marco Polo del Nero, conversa com ex-presidente da entidade José Maria Marin durante entrevista. 20/01/2015. REUTERS/Paulo Whitaker