Irã afasta navios das proximidades do Iêmen e reduz tensões, diz Pentágono

sexta-feira, 24 de abril de 2015 17:28 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - Uma flotilha de nove embarcações iranianas militares e de carga que autoridades dos Estados Unidos temiam estarem levando armas ao conturbado Iêmen seguiram para o nordeste rumo ao país de origem nesta sexta-feira, manobra que o Pentágono disse ter ajudado a atenuar as preocupações norte-americanas.

O coronel do Exército Steve Warren, porta-voz do Pentágono, afirmou que a flotilha estava em águas internacionais e a meio caminho da costa de Omã nesta sexta-feira, e ainda navegando rumo ao nordeste.

Ele não quis dizer se os navios estavam voltando ao Irã ou indo para lá, declarando que os militares dos EUA não sabem qual é sua intenção e que as embarcações podem dar meia-volta a qualquer momento.

Mas Warren afirmou que a mudança de rota de fato tranquilizou Washington.

"Acho que dá para dizer que isso parece ser um relaxamento das tensões que estavam sendo discutidas no começo desta semana", opinou.

Na quinta-feira, uma autoridade norte-americana, falando sob condição de anonimato, disse que os navios, que estavam em águas internacionais perto da fronteira entre Omã e o Iêmen, haviam se distanciado do território iemenita.

No início da semana, a Marinha dos EUA enviou o porta-aviões USS Theodore Roosevelt e um navio de guerra de escolta para apoiar sete navios de guerra do país já na área ao redor do Golfo de Áden por conta dos temores com a instabilidade crescente no Iêmen.

(Reportagem de David Alexander)

 
Helicópteros sobrevoam o porta-aviões USS Theodore Roosevelt durante uma missão de reabastecimento no Golfo de Omã. 13/04/2015 REUTERS/Marinha dos EUA/Scott Fenaroli/Divulgação