Mais de 7.000 imigrantes são resgatados no Mediterrâneo a caminho da Europa

segunda-feira, 4 de maio de 2015 18:13 BRT
 

ROMA (Reuters) - Cerca de 7.000 imigrantes foram resgatados de barcos superlotados na travessia do Mar Mediterrâneo até a Europa durante o fim de semana e nesta segunda-feira, incluindo uma mulher que deu à luz em um navio da Marinha italiana, informou a Guarda Costeira.

O número de pessoas que se arriscam nessa jornada em busca de condições melhores de vida continua a aumentar, mesmo após uma tragédia que matou afogadas 900 pessoas há duas semanas, no pior naufrágio da história recente no Mediterrâneo.

A tripulação do navio italiano Bettica encontrou a mulher em trabalho de parto durante a noite em uma das 34 embarcações que foram encontradas no fim de semana. Uma foto publicada na Internet mostrou sua filha, chamada Francesca Marina, dormindo em um berço improvisado. Marina, um nome comum na Itália, significa Marinha, em italiano.

“Tanto a mãe quanto a filha estão com boa saúde”, disse a Marinha. Ambas, cujas nacionalidades não foram reveladas, foram levadas para o porto de Pozzallo, no sul da Sicília.

Embarcações da Marinha se dirigiam a caminho de outro bote de borracha com 89 pessoas a bordo, nesta segunda-feira, e o navio de resgate particular Phoenix disse que já havia resgatado 104 imigrantes.

O Phoenix, uma embarcação da ilha de Malta e gerenciada pela Estação Marítima de Auxílio aos Imigrantes (Moas, na sigla em inglês) e pela ONG Médicos Sem Fronteiras, resgatou 369 pessoas, a maioria delas da Eritreia, a bordo de um barco de madeira, no domingo.

(Por Steve Scherer)

 
Mulher recebe ajuda para desembarcar de navio da Marinha da Itália em porto na Sicília. 04/05/2015 REUTERS/Antonio Parrinello