HSBC deve receber ofertas por unidade brasileira em junho, dizem fontes

quarta-feira, 13 de maio de 2015 12:05 BRT
 

Por Guillermo Parra-Bernal e Pamela Barbaglia

SÃO PAULO/LONDRES (Reuters) - O HSBC pode selecionar uma proposta preferencial para sua unidade brasileira a partir do mês que vem, com expectativa de que a venda seja finalizada até agosto, disseram três fontes com conhecimento do processo.

O HSBC espera conseguir ofertas vinculantes pela unidade pelo final de junho, disseram as fontes, que pediram anonimato. A partir disso, a venda pode ganhar tração rapidamente já que a unidade detém só uma pequena fração dos ativos do sistema bancário brasileiro, observaram as fontes.

Por fim, os proponentes vão definir um preço pela unidade formalmente conhecida como HSBC Bank Brasil Banco Múltiplo, com base em quão rapidamente esperam que a unidade volte ao lucro, disseram duas das fontes. As ofertas pela unidade podem não superar o valor contábil, que é estimado atualmente em cerca de 10 bilhões de reais, afirmaram.

Notícias sobre a venda iminente surgem após o presidente-executivo do HSBC, Stuart Gulliver, ter mencionado Brasil, México, Turquia e Estados Unidos como possíveis mercados para alienação de unidades. O HSBC contratou o Goldman Sachs para coordenar a transação.

O HSBC Bank Brasil é o sétimo maior banco comercial do país e teve prejuízo líquido de 549 milhões de reais no ano passado.

As três fontes disseram que o Bradesco, o Santander Brasil e o BTG Pactual tiveram acesso aos documentos preliminares da venda. O canadense Bank of Nova Scotia havia nostrado interesse na inicialmente, mas isso perdeu força nas últimas semanas, segundo uma fonte.

O BTG Pactual estaria interessado apenas em "partes da unidade, especificamente as operações de gestão de fortunas e ativos", disse a primeira fonte, acrescentando que o HSBC "provavelmente não vai concordar com um desmembramento".

De acordo com a segunda fonte, há um interesse "considerável" de bancos chineses, vistos como capazes de fazer ofertas agressivas para vencer os rivais domésticos.   Continuação...

 
Gari descansa em frente a uma agência do HSBC em Curitiba. 24/06/2014 REUTERS/Amr Abdallah Dalsh