Alemanha vai apoiar campanha militar contra Estado Islâmico após apelo da França

quinta-feira, 26 de novembro de 2015 17:38 BRST
 

BERLIM (Reuters) - A Alemanha irá se unir à campanha militar contra os militantes do Estado Islâmico na Síria enviando caças de reconhecimento Tornado, aeronaves de reabastecimento e uma fragata à região após um apelo direto da França, um aliado próximo, para que Berlim faça mais.

A decisão de contribuir com efetivos militares e equipamentos é uma guinada para a Alemanha, que vinha evitando um envolvimento direto no conflito – mas o país não planeja realizar ataques aéreos na Síria, tal como França, Estados Unidos e Rússia.

"Hoje o governo tomou decisões difíceis, mas importantes e necessárias", declarou a ministra da Defesa, Ursula von der Leyen, aos repórteres após se reunir com parlamentares.

"Estamos ao lado da França, que foi atingida por estes ataques desumanos do Estado Islâmico."

A chanceler alemã, Angela Merkel, prometeu o apoio, que precisa ser aprovado pelo Parlamento, durante conversas com o presidente francês, François Hollande, em Paris na quarta-feira.

Berlim pretende enviar entre quatro e seis caças Tornado e providenciar auxílio com satélites, aeronaves de reabastecimento e uma fragata para ajudar a proteger o porta-aviões francês Charles de Gaulle, que a Marinha da França enviou para o leste do Mar Mediterrâneo para apoiar a ofensiva aérea na

Síria e no Iraque.

(Por Noah Barkin e Sabine Siebold)

 
Ministra de Defesa alemã Ursula von der Leyen durante evento em Berlim.  26/11/2015.   REUTERS/Hannibal Hanschke