Presidente da Turquia alerta Rússia a não "brincar com fogo"

sexta-feira, 27 de novembro de 2015 17:11 BRST
 

Por Daren Butler e Maria Tsvetkova

ISTAMBUL/MOSCOU (Reuters) - O presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, alertou a Rússia nesta sexta-feira a não "brincar com fogo", citando relatos de que empresários turcos foram detidos na Rússia, e Moscou reagiu tornando a emissão de vistos mais rigorosa.

As relações entre os ex-antagonistas da Guerra Fria estão em seu pior momento desde que a Turquia derrubou um caça russo perto da fronteira com a Síria na terça-feira. A Rússia ameaçou uma retaliação econômica, resposta que Erdogan desqualificou como emocional e indecorosa.

O incidente se mostrou uma distração para o Ocidente, que procura angariar apoio para a luta liderada pelos Estados Unidos contra o Estado Islâmico na Síria. A guerra civil naquele país, que já dura quase cinco anos, foi complicada pelos ataques aéreos russos em defesa do presidente sírio, Bashar al-Assad.

    A Turquia, que há tempos quer a saída de Assad, tem profundos laços comerciais com Moscou, e eles podem ser afetados. Erdogan repudiou as notícias de que alguns empresários de seu país foram detidos por irregularidades em seus vistos durante uma feira comercial na Rússia.

    "É brincar com fogo chegar ao ponto de maltratar nossos cidadãos que foram à Rússia", afirmou Erdogan a seus apoiadores durante um discurso em Bayburt, no nordeste da Turquia. "Nós de fato atribuímos muita importância às nossas relações com a Rússia... não queremos que estas relações sejam prejudicadas de forma nenhuma".

Ele disse que pode conversar com o presidente russo, Vladimir Putin, na cúpula climática da semana que vem em Paris. Até agora Putin se recusou a fazer contato com Erdogan porque Ancara não quer se desculpar pela derrubada de seu caça, afirmou um assessor de Putin.

    Erdogan disse que a Turquia é que merece desculpas porque seu espaço aéreo foi violado. Moscou insiste que a aeronave jamais saiu do espaço aéreo sírio.

    O ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, declarou nesta sexta-feira que Moscou irá suspender seu regime de dispensa de vistos com a Turquia a partir de 1o de janeiro de 2016, o que pode afetar a indústria turística da Turquia – seus balneários são muito frequentados pelos russos.

    O Ministério da Agricultura russo já aumentou a vistoria de importações de alimentos e hortifrutigranjeiros da Turquia, uma das primeiras medidas públicas para restringir as trocas comerciais.

    (Reportagem adicional de Melih Aslan e Humeyra Pamuk em Istambul; John Davison em Beirute; Radu-Sorin Marinas em Bucareste; Darya Korsunskaya em Moscou; John Irish em Paris)

 
Presidente turco Erdogan faz discurso em Ancara, na Turquia.  26/11/2015.  REUTERS/Umit Bektas