Exército dos EUA libera atuação de mulheres em todos os postos militares

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015 18:52 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - As mulheres podem concorrer a todos os trabalhos militares nos Estados Unidos, incluindo postos de combate na linha de frente, disse o secretário de Defesa do país, Ash Carter, nesta quinta-feira, ignorando as objeções dos fuzileiros navais, uma decisão histórica que derruba barreiras de gênero nos serviços armados.

"Se elas se qualificarem e cumprirem as exigências, as mulheres vão agora poder contribuir para a nossa missão de maneiras que elas não podiam antes", afirmou Carter à imprensa no Pentágono.

"Elas terão permissão para dirigir tanques, disparar morteiros e liderar soldados em combate. Elas serão capazes de servir como Rangers e Boinas Verdes, Seals da Marinha, fuzileiros navais, agentes de socorro da Força Aérea, e tudo que estava antes aberto somente para homens", afirmou ele.

Carter declarou que a nova política começará a vigorar após um período de espera de 30 dias exigido pela lei, depois do qual as mulheres serão integradas nas novas funções de uma "forma deliberada e metódica".

Durante o período de espera, os serviços militares irão finalizar os planos para integrar as mulheres nos novos postos, disse ele.

A medida se dá quase três anos depois de o Pentágono eliminar a proibição de mulheres servindo na linha de frente em combates e iniciar um processo que vai permitir que as mulheres concorram por mais 220.000 postos militares.

(Reportagem de David Alexander e Phil Stewart)