Del Nero diz em CPI que provará inocência após indiciamento nos EUA

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015 19:08 BRST
 

(Reuters) - O presidente licenciado da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero, disse nesta quarta-feira em depoimento à CPI do Futebol, no Senado, que vai provar sua inocência, depois de ser acusado nos Estados Unidos de corrupção.

"As pessoas podem ser indiciadas, mas têm o direito de fazer sua defesa e vou provar que há um equívoco muito grande neste indiciamento americano... Vou demonstrar a minha inocência", disse Del Nero a senadores.

Questionado pelo presidente da CPI, o ex-jogador e senador Romário (PSB-RJ), se a CBF é uma instituição corrupta, o dirigente respondeu: "Não, que eu saiba não. Eu não sou corrupto".

Del Nero foi indiciado pela Justiça dos EUA no começo deste mês acusado de receber propina em contratos ligados a competições no Brasil e na América do Sul. Após o indiciamento, ele se licenciou da presidência da CBF.

"Pedi licença para poder me defender", argumentou Del Nero, acrescentando que também deixou suas funções nos comitês da Fifa e da Conmebol para se defender das acusações.

Del Nero afirmou, no entanto, que não vai renunciar ao cargo. O dirigente foi eleito presidente da CBF em eleição no ano passado e assumiu o posto em abril, no lugar de José Maria Marin. Em maio, Marin foi preso na Suíça junto com outros dirigentes do futebol mundial, na maior operação já feita contra a corrupção neste esporte.

Del Nero garantiu no depoimento que não presenciou nenhuma "irregularidade" cometida por Marin e negou as acusações de que teria participado da elaboração de contratos suspeitos durante a gestão de seu antecessor, apesar de estar sempre próximo ao ex-presidente da CBF.

Desde a prisão de Marin, Del Nero não viajou ao exterior para acompanhar a seleção brasileira ou participar de reuniões da Fifa.

Segundo ele, seus advogados o aconselharam a ficar no país. Perguntado por Romário se tinha medo de ser preso, Del Nero reafirmou: "Meus advogados me aconselharam."   Continuação...