Negociações sobre a Síria em Lausanne terminam sem avanço

sábado, 15 de outubro de 2016 17:16 BRT
 

Por Alexander Winning e Lesley Wroughton

LAUSANNE, Suíça (Reuters) - Negociações sobre a Síria realizadas pelo secretário de Estado norte-americano, John Kerry, na cidade suíça de Lausanne, encerraram-se neste sábado sem nenhum comunicado oficial conjunto dos nove países envolvidos.

    Kerry buscava obter um novo caminho para a paz depois de não conseguir um cessar-fogo em conversas diretas com a Rússia e em meio a crescentes críticas internacionais a russos e sírios pelos bombardeios na cidade de Aleppo, tomado por rebeldes.

    Kerry recebeu o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, e sete outros chanceleres da região: de Irã, Iraque, Arábia Saudita, Turquia, Catar, Jordânia e Egito. O encontro ocorreu semanas depois do fracasso do plano de cessar-fogo entre EUA e Rússia, tidas por muitos como a última chance de paz neste ano.

    Lavrov, que disse anteriormente não ter “expectativas especiais” para o encontro deste sábado, afirmou a agências de notícias russas que os países concordaram em manter contato em um futuro próximo para acabar com a crise síria. Ele contou que houve “ideias interessantes”, sem dar detalhes.

    “Este será, como tem sido há anos, um processo muito difícil”, disse uma autoridade norte-americana antes do início das conversas.

    A Europa não estava representada no encontro, ocorrido em um luxuoso hotel no Lago Genebra. Mas o Ministério das Relações Exteriores da França disse que chanceleres devem se reunir em Londres no domingo para discutir a questão síria.

    Desde o fracasso da cooperação EUA-Rússia, as autoridades norte-americanas trabalham em várias frentes e, embora não se espere grandes avanços, o formato regional pode ser a base para um novo processo, afirmou a autoridade dos EUA.

    Mas um ex-enviado do Ocidente à Síria disse à Reuters: “Eu não entendo por que os norte-americanos estão pedindo mais conversas com os russos. Eles não fizeram concessão alguma. Os norte-americanos acreditam que Moscou ficou abalada pelo fracasso das negociações na semana passada e mudará de comportamento agora?”.   Continuação...