Ibovespa recua 1,7% com incerteza eleitoral e pessimismo internacional

segunda-feira, 22 de setembro de 2014 18:23 BRT
 

Por Priscila Jordão e Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou esta segunda-feira no menor nível em mais de cinco semanas, refletindo uma combinação de nervosismo antes de novos números da corrida presidencial e o pessimismo externo com a economia dos Estados Unidos e da China.

O Ibovespa ainda se recuperou parcialmente no final da tarde, mas isso não bastou para impedir sua quarta queda seguida. Aos 56.818 pontos, após cair 1,68 por cento, o índice marcou o menor nível de fechamento desde 14 de agosto.

O giro financeiro do pregão somou 7,66 bilhões de reais.

Em semana recheada de pesquisas eleitorais, o clima entre investidores foi de incerteza. Os últimos levantamentos apontaram recuperação do candidato do PSDB, Aécio Neves. Nas simulações de segundo turno, a disputa segue bastante acirrada entre a presidente Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB), afetando expectativas de vitória da oposição.

Reportagens na mídia local citando levantamentos próprios dos partidos deram combustível às especulações.

"A especulação eleitoral continua a pleno vapor em função das pesquisas que estão para sair e tudo indica que a corrida eleitoral está cada vez mais acirrada, o que dificulta a precificação dos ativos e corrobora o aumento da volatilidade", disse o analista Raphael Figueredo, da Clear Corretora.

As ações das estatais Eletrobras e Banco do Brasil tiveram as maiores quedas do Ibovespa.

Vale também recuou forte, após o minério de ferro com entrega imediata na China cair abaixo de 80 dólares por tonelada pela primeira vez em cinco anos.   Continuação...