Marina defende universalização de banda larga, diz que regulamentação cabe ao Congresso

segunda-feira, 22 de setembro de 2014 21:41 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A candidata à Presidência pelo PSB, Marina Silva, afirmou nesta segunda-feira que a Internet de banda larga é um serviço essencial para os brasileiros e, questionada sobre que medidas tomaria para universalizar o acesso, disse que cabe ao Congresso definir um marco regulatório para o setor.

“Nós temos um compromisso com os processos democráticos no Congresso, (os processos) tem sim a capacidade de em novas bases, numa nova governabilidade, prover o país do marco legal adequado para dar conta dessa necessidade”, declarou Marina a jornalistas ao ser interrogada se iria se comprometer, caso eleita, a fazer um decreto ou um projeto de lei.

Em debate com integrantes da campanha “Banda Larga é um Direito Seu”, em São Paulo, a candidata defendeu o reconhecimento do acesso à Internet de banda larga como um direito fundamental de todos os brasileiros.

“O acesso (à banda larga) se constitui num serviço essencial para o país... em vários aspectos do nosso programa de governo fazemos a combinação das diferentes formas de como a sociedade brasileira poderá continuar a avançar em relação a esse novo ideal identificatório da sociedade planetária”, disse Marina.

“Já tivemos como ideais identificatórios da nossa era propiciar à sociedade acesso à educação como um direito, acesso à saúde como um direito, acesso ao saneamento básico como um direito... e tantos outros serviços”, completou a candidata.

(Reportagem de Pedro Belo)