Após dólar fechar a R$2,40, BC amplia oferta em leilão de rolagem de swaps

terça-feira, 23 de setembro de 2014 22:18 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Após o dólar alcançar 2,41 reais durante o pregão dessa terça-feira, com o mercado sensível à cena eleitoral no Brasil, o Banco Central ampliou sua atuação cambial ofertando mais swaps cambiais para rolar os contratos que vencem em outubro, numa clara tentativa de evitar valorização adicional da moeda norte-americana.

Serão ofertados em leilão na quarta-feira até 15 mil contratos para 3 de agosto e 1º de outubro de 2015, de acordo com comunicado do BC divulgado após o fechamento do mercado nesta terça-feira, mais do que o dobro do volume que vinha colocando até então, de 6 mil swaps.

Levando em conta que o BC não tem feito leilões de rolagem no último dia útil de cada mês, e se mantiver e vender todo o volume ofertado de 15 mil papeis diários até o dia 29, a autoridade monetária rolará quase 100 por cento dos contratos que vencem em 1º de outubro, no volume equivalente a 6,677 bilhões de dólares.

Se fizer também o leilão no dia 30 deste mês, terá colocado no mercado mais swaps do que o necessário para rolar o lote que vence no próximo mês. O BC vem rolando entre 50 e 90 por cento dos lotes de swaps a vencer em cada mês e, se mantivesse a oferta diária de até 6 mil swaps, rolaria cerca de 76 por cento do lote de outubro.

Ao todo, o BC já rolou o equivalente a 3,554 bilhões de dólares, ou cerca de 53 cento do lote total do mês que vem. O leilão dessa quarta-feira ocorrerá entre as 11h30 e 11h40, e o resultado será divulgado a partir das 11h50.

Neste pregão, o dólar fechou em alta de 0,53 por cento, a 2,4070 reais na venda, após chegar a 2,4149 reais na máxima do dia, acumulando no mês alta de mais de 7 por cento.

O mercado tem reagido às últimas pesquisas de intenção de voto para a Presidência, mostrando que a candidata Marina Silva (PSB) tem perdido terreno numa provável disputa no segundo turno com a presidente Dilma Rousseff (PT), que tem sido criticada pela condução da atual política econômica.

Dentro do BC, a avaliação é de que a cena eleitoral vai continuar mexendo no mercado de câmbio. Recentemente, uma importante fonte da equipe econômica disse à Reuters que a autoridade monetária poderia lançar mão do aumento da oferta de swaps para rolagem com o objetivo de reduzir a volatilidade atual do mercado, já levando em consideração a cena eleitoral no país.

(Por Patrícia Duarte)