COLUNA-Pesquisas divergem e mostram cenários na disputa presidencial bem diferentes

quarta-feira, 24 de setembro de 2014 14:31 BRT
 

(O autor é editor de Front Page do Serviço Brasileiro da Reuters. As opiniões expressas são do autor do texto)

Por Alexandre Caverni

SÃO PAULO (Reuters) - Toda eleição tem um momento, ou uma fase, em que as pesquisas eleitorais se desencontram mais fortemente e essa hora chegou para a atual campanha, com a divulgação nesta terça-feira de levantamentos de três institutos.

Os números são tão diferentes que numa das sondagens, a do Vox Populi, a presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição, estaria bem perto de liquidar a fatura no primeiro turno.

Discussões sobre metodologias, qualidade e abrangência das amostragens são recorrentes nas eleições. Os dados revelados nesta terça-feira têm tudo para alimentar esse debate mais uma vez. Infelizmente, somente na votação é possível verificar quais pesquisas estão certas.

Desta vez, pelo menos, o período em que os levantamentos foram feitos não serve como justificativa para os números diferentes. O Ibope foi a campo entre os dias 20 e 22, MDA e Vox Populi ouviram os eleitores entre os dias 20 e 21.

Já na abrangência há uma boa diferença: enquanto a MDA ouviu 2.002 pessoas em 137 municípios, o Vox Populi entrevistou 2.000 em 147 municípios e o Ibope ouviu 3.010 em 296 municípios.

A margem de erro é praticamente a mesma: 2,2 pontos percentuais para Vox Populi e MDA e 2 pontos pata o Ibope.   Continuação...

 
Os três principais candidatos na disputa pela Presidência da República: Marina Silva (PSB), Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). 26/08/2014 REUTERS/Paulo Whitaker