Na TV, Aécio usa Vox Populi e diz que é voto útil para vencer PT

quinta-feira, 25 de setembro de 2014 14:31 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, usou seu programa no horário eleitoral obrigatório para exaltar pesquisa do instituto Vox Populi, que reduz sua desvantagem para Marina Silva (PSB) para 5 pontos, e disse ser o voto útil para derrotar a presidente Dilma Rousseff (PT) no segundo turno.

Apesar de três pesquisas de institutos diferentes terem sido divulgadas nesta semana, o programa do tucano escolheu mostrar somente o levantamento do Vox Populi, justamente aquele em que sua desvantagem para Marina é menor. Pesquisas do Ibope e do instituto MDA mostraram a candidata do PSB com uma vantagem maior sobre o tucano --10 pontos e 9,8 pontos respectivamente.

"Aécio cresce nas pesquisas e já cola em Marina", afirma um locutor enquanto os números do Vox Populi são mostrados na tela.

"Obrigado a você que vem fazendo a nossa candidatura crescer em todo o Brasil. Vamos juntos ao segundo turno para mudar de verdade o Brasil", agradece o tucano, antes de o locutor afirmar: "Aécio, o voto útil para vencer o PT".

Apesar do otimismo no discurso da campanha tucana e da propaganda do PSDB declarar que seu candidato é o "voto útil" para derrotar Dilma, todas as pesquisas mostram o tucano com grande desvantagem em relação à petistas nas simulações de segundo turno.

Enquanto isso, Marina aparece em empate técnico contra a presidente no Ibope e no MDA e perdendo para Dilma, mas por uma diferença menor que Aécio, no Vox Populi.

Segundo o Ibope. Dilma venceria Aécio por 46 a 35 por cento, enquanto Marina empata em 41 por cento com a petista. Pelo MDA, o placar contra o tucano é favorável à petista por 45,5 a 36,5 por cento, ao passo que Marina tem 41 por cento contra 42 por cento de Dilma.

Já no Vox Populi, instituto escolhido pela campanha tucana para aparecer na propaganda, Dilma venceria Aécio por 49 a 34 por cento e derrotaria Marina por 46 a 39 por cento.

(Por Eduardo Simões)

 
Candidato do PSDB à Presidência,  Aecio Neves, em campanha na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro. 23/09/2014 REUTERS/Pilar Olivares