Na TV, Marina combate medo da mudança e diz que conquistas não são favores

quinta-feira, 25 de setembro de 2014 21:34 BRT
 

(Reuters) - A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, usou seu programa de TV desta quinta-feira para combater o medo da mudança e ainda afirmar que as conquistas e direitos dos brasileiros não podem ser tratados como favores do governo.

A ex-senadora criticou "os que estão agarrados ao poder" por aderirem na campanha a "histórias de terror" sobre o futuro do emprego, da casa própria e da alimentação dos eleitores.

"É como se o governo tivesse dado para você todas essas coisas, como se você não tivesse conquistado com seu próprio esforço e trabalho", disse a presidenciável no programa eleitoral obrigatório exibido na noite desta quinta-feira.

"A sociedade brasileira acreditou que direitos não são favores. Direitos são conquistas e conquistas não devem ser tratadas como favores", afirmou, em trecho de encontro com lideranças trabalhistas exibidas no programa.

Já o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, repetiu programa veiculado na tarde desta quinta, em que exaltou pesquisa do instituto Vox Populi, que reduz sua desvantagem para Marina Silva (PSB) para 5 pontos, e disse ser o voto útil para derrotar a presidente Dilma Rousseff (PT) no segundo turno.

Apesar de três pesquisas de institutos diferentes terem sido divulgadas nesta semana, o programa do tucano escolheu mostrar somente o levantamento do Vox Populi, justamente aquele em que sua desvantagem para Marina é menor. Pesquisas do Ibope e do instituto MDA mostraram a candidata do PSB com uma vantagem maior sobre o tucano --10 pontos e 9,8 pontos respectivamente.

"Aécio cresce nas pesquisas e já cola em Marina", afirma um locutor enquanto os números do Vox Populi são mostrados na tela.

"Obrigado a você que vem fazendo a nossa candidatura crescer em todo o Brasil. Vamos juntos ao segundo turno para mudar de verdade o Brasil", agradece o tucano, antes de o locutor afirmar: "Aécio, o voto útil para vencer o PT".

Apesar do otimismo no discurso da campanha tucana e da propaganda do PSDB declarar que seu candidato é o "voto útil" para derrotar Dilma, todas as pesquisas mostram o tucano com grande desvantagem em relação à petistas nas simulações de segundo turno.   Continuação...