PSB adia para após 1o turno reunião que decidirá executiva nacional

sábado, 27 de setembro de 2014 16:46 BRT
 

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - O Partido Socialista Brasileiro (PSB) decidiu adiar para 13 de outubro, após a votação do primeiro turno para a Presidência da República, a reunião que elegerá sua nova executiva nacional, informou o PSB neste sábado.

A decisão foi tomada pelo presidente do partido, Roberto Amaral, a pedido do Diretório Estadual de Pernambuco, disse o PSB, em nota.

"Recentemente, os companheiros de Pernambuco insistiram no adiamento da reunião do Diretório Nacional que ocorreria na tarde desta segunda-feira", disse Amaral em carta ao diretório pernambucano.

"O argumento fundamental era a proximidade das eleições de primeiro turno, e sua eventual repercussão no pleito pernambucano", acrescentou.

Esta semana, o candidato a vice na chapa de Marina Silva, Beto Albuquerque articulou o adiamento, defendendo que a escolha passasse necessariamente pelo PSB em Pernambuco, Estado do ex-presidente da sigla e ex-presidenciável pela legenda Eduardo Campos, que morreu em agosto em um acidente aéreo.

Durante entrevista coletiva da candidata do partido à Presidência, Marina Silva, neste sábado, o vice-presidente do PSB e candidato a vice na chapa presidencial do partido disse que a decisão pelo adiamento foi tomada em "convergência" e foi de "bom senso".

"Junto com o presidente Amaral, que será o presidente do partido, nós definimos uma nova data", disse Albuquerque, que era o principal crítico da realização da eleição partidária na segunda.

Ao lado de Amaral, a quem abraçou algumas vezes, Albuquerque negou que o episódio tenha provocado divisões no PSB e disse que trabalhará para que Amaral seja eleito presidente da legenda por unanimidade.

(Por Juliana Schincariol e Eduardo Simões)