Dólar dispara 2% e volta a níveis de 2008, com melhora de Dilma em pesquisa eleitoral

segunda-feira, 29 de setembro de 2014 09:57 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar disparava mais de 2 por cento sobre o real nesta segunda-feira, voltando ao maior patamar desde final de 2008, com o mercado reagindo à recuperação da presidente Dilma Rousseff (PT) na corrida pela reeleição apontada em última pesquisa Datafolha.

Às 9h51, a moeda norte-americana subia 2,26 por cento, a 2,4707 reais na venda, após atingir 2,4792 reais na máxima da sessão, maior nível intradia desde 10 de dezembro de 2008 (2,5100 reais).

"O mercado entrou com todas as fichas numa vitória da oposição e pagou para ver. O que a gente está vendo hoje é a reversão desse movimento", disse o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo.

Segundo o levantamento do Datafolha divulgado após o fechamento dos mercados na sexta-feira, Dilma praticamente dobrou sua vantagem contra Marina Silva (PSB) nas intenções de voto para o primeiro turno e passou a ter vantagem numérica sobre a ex-senadora em simulação de um segundo turno. A presidente é alvo de críticas nos mercados financeiros, que desaprovam a condução da política econômica.

"Se isso se confirmar (avanço de Dilma) nas próximas pesquisas, o céu é o limite para o dólar", afirmou o gerente de câmbio da corretora Fair, Mário Battistel, para quem a moeda norte-americana pode ir acima de 2,50 reais no curto prazo.

Battistel também acredita que o BC pode atuar com mais força no mercado para evitar essas arrancadas, ampliando os leilões de swaps, entrando com leilões de linha ou até mesmo com venda de dólares à vista.

Até agora, a autoridade monetária deu continuidade às intervenções diárias no mercado de câmbio nesta sessão, vendendo a oferta total de até 4 mil swaps cambiais, que equivalem à venda futura de dólares.

Foram vendidos 1,7 mil contratos para 1º de junho e 2,3 mil para 1º de setembro de 2015, com volume equivalente a 197,5 milhões de dólares.

O BC também fará nesta sessão mais um leilão para rolar swaps que vencem em 1º de outubro, com oferta de até 15 mil contratos. Até agora, o BC rolou cerca de 75 por cento do lote total, que corresponde a 6,677 bilhões de dólares.   Continuação...

 
Mulher conta dólares em casa de câmbio de Yangon. 23/05/2013. REUTERS/Soe Zeya Tun