Marina comprometeu gerações ao decidir sobre hidrelétricas, diz assessor de Aécio

segunda-feira, 29 de setembro de 2014 22:28 BRT
 

(Reuters) - A candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, comprometeu gerações futuras de brasileiros ao decidir, como ministra do Meio Ambiente, que usinas hidrelétricas na Amazônia deveriam funcionar sem um grande reservatório que regularizassem os rios, disse nesta segunda-feira o coordenador para a área ambiental do tucano Aécio Neves, Fábio Feldman.

Ao responder no Facebook sobre assuntos de meio ambiente e sustentabilidade do programa do candidato do PSDB, que começou a ser discutido na rede social nesta segunda, Feldman responsabilizou Marina pelas chamadas usinas de fio d'água.

Essa foi uma solução técnica encontrada para superar divergências de ambientalistas em que as usinas são construídas sem grandes reservatórios, o que reduz a área alagada, assim como a geração de energia em períodos de seca.

"A hidrelétrica de Belo Monte é uma obra importante, porém foi mal licitada", escreveu Feldman.

"O maior problema é que é uma usina a fio d'água e, por isso, vai gerar muito menos energia. É bom que se diga que essas usinas a fio d'água, como Belo Monte, foram uma decisão da então ministra Marina Silva. Essa decisão compromete o interesse de gerações futuras de brasileiros, na medida que abrimos mão de uma energia limpa e barata como é a energia das hidrelétricas."

Feldman também disse que o programa de governo de Aécio prevê uma "ampla discussão" sobre o modelo atual de licenciamento ambiental "para torná-lo mais eficiente e menos burocrático".

Ele também falou aos usuários da rede social que um eventual governo tucano cumprirá a lei "até a vírgula" em busca de zerar o desmatamento ilegal e citou como medidas para redução do desmatamento da Amazônia o combate à madeira ilegal e o aumento da fiscalização.

Feldman também defendeu o maior uso das bicicletas nas cidades como forma de reduzir o trânsito.

"Estamos muito preocupados com a ampliação do uso do automóvel nas grandes cidades brasileiras, que se transformarão em grandes estacionamentos. Propomos uma ampliação do uso da bicicleta", disse o coordenador ambiental de Aécio, acrescentando que o transporte sobre trilhos também será prioridade no governo tucano.

(Por Eduardo Simões)