Aécio acusa Correios de não enviarem correspondência de sua campanha em Minas

quarta-feira, 1 de outubro de 2014 19:26 BRT
 

(Reuters) - O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, acusou nesta quarta-feira os Correios de cometerem crime e não enviarem em Minas Gerais correspondência de candidatos do partido.

Na véspera, reportagem veiculada no site do jornal O Estado de S.Paulo apresentou trecho gravado de reunião com a presença do presidente dos Correios, na qual o deputado estadual mineiro petista Durval Ângelo dizia que a presidente Dilma Rousseff (PT) só chegou aos 40 por cento das intenções de votos em Minas Gerais porque "tem dedo forte dos petistas dos Correios".

"É absolutamente grave, estarrecedor o que nós estamos assistindo nessa campanha, agora no meu Estado, Minas Gerais", disse Aécio a jornalistas em Mogi das Cruzes (SP).

"Recebemos denúncias nessas últimas 24 horas de que os Correios em Minas Gerais, durante toda a campanha, não cumpriram com a sua responsabilidade", acrescentou. "Cometeram um crime e não enviaram as correspondências da nossa campanha, seja do nosso candidato (a governador) Pimenta da Veiga, seja da nossa candidatura presidencial."

Na véspera, os Correios negaram em nota envolvimento institucional com a campanha de candidatos, ressaltando que a atuação de funcionários fora do expediente é de responsabilidade dos próprios funcionários.

"As alusões feitas na matéria (do jornal) sobre participação de pessoas ligadas aos Correios em atividades político-partidárias jamais podem ser entendidas como atuação da empresa. A participação de algum profissional, como cidadão, nessa ou em outra atividade, fora do âmbito dos Correios e fora do seu expediente de trabalho, diz respeito à pessoa e não à empresa", disse a nota.

Sobre as acusações de Aécio, os Correios divulgaram uma nova nota nesta quarta-feira afirmando que "a entrega de material de campanha de todos os candidatos está sendo realizada dentro do cronograma previsto e amplamente divulgado".

"Em agosto e setembro, os Correios realizaram a entrega de mais de 11,2 milhões de itens referentes à campanha de Aécio Neves, sem qualquer reclamação do cliente", acrescentou a nota.

Aécio prometeu acionar a Justiça e responsabilizar criminalmente o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, o presidente do Correios, Wagner Pinheiro, e outros funcionários da empresa.   Continuação...

 
Candidato à Presidência pelo PSDB, Aécio Neves, acena para eleitores em Mogi das Cruzes. 01/10/2014. REUTERS/Paulo Whitaker