Para Feldman, Dilma evitou Marina em debate porque prefere Aécio no 2º turno

sexta-feira, 3 de outubro de 2014 03:14 BRT
 

(Reuters) - A presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição pelo PT, evitou confrontos diretos com Marina Silva (PSB) no último debate antes das eleições de domingo, numa clara indicação de que prefere um embate com o tucano Aécio Neves no segundo turno, de acordo com o coordenador da campanha marineira, Walter Feldman.

Durante o debate da TV Globo, Marina e Dilma ficaram frente à frente basicamente quando as perguntas foram feitas pela candidata do PSB. A petista optou por perguntas ao candidato do PSDB, Aécio Neves.

“Foi uma polarização que foi conservada assim como o governo nos últimos anos”, disse Feldman. “Nas últimas eleições o PSDB tem perdido para o PT; é uma lógica do PT que o Aécio no segundo turno seria melhor para a Dilma.”

Nessa quinta-feira , foram divulgadas duas pesquisas de intenção de voto com sinalizações um pouco distintas. Dilma Rousseff (PT) aparece com 40 por cento e Marina com 24 por cento das intenções de voto nas sondagens do Ibope e do Datafolha.

Mas Aécio tem 21 por cento no Datafolha e 19 por cento Ibope. Como a margem de erro das duas pesquisas é de 2 pontos percentuais, pelo Datafolha o tucano e a candidata do PSB estão em empate técnico.

“(Dilma) só escolheu o Aécio e sabemos que o PT acha que é mais fácil ganhar do PSDB no segundo turno”, disse Feldman.

A preferência por Aécio ficou clara quando foi sorteado o tema mudanças climáticas e, Dilma Rousseff optou pelo o tucano em detrimento de Marina Silva, que foi Ministra do Meio Ambiente no Governo Lula

Em dado momento, a escolha do adversário a ser perguntado por Dilma pode ter sido imposta pelo tema sorteado. Tendo que questionar um oponente sobre mudanças climáticas, a presidente pode ter preferido evitar o confronto com uma especialista.

“A pergunta era para Marina, mas a Dilma jamais perguntaria para uma pessoa que sabe tanto como a Marina e que ela desenvolve e desenrola muito bem”, afirmou ele.   Continuação...

 
Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB) antes de debate no Rio de Janeiro. 02/10/2014.  REUTERS/Ricardo Moraes