Eleitores aguardam apuração para conhecer adversário de Dilma em provável 2º turno

domingo, 5 de outubro de 2014 18:19 BRT
 

Por Pedro Fonseca e Leonardo Goy

RIO DE JANEIRO/BRASÍLIA (Reuters) - A maioria dos locais de votação do país fechou as urnas às 17h (de Brasília) deste domingo depois que milhões de pessoas participaram de uma eleição marcada pela indefinição do adversário da presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) em um eventual segundo turno, com Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB) em empate técnico em segundo lugar, de acordo com as últimas pesquisas que indicaram vantagem numérica do tucano.

Apesar de a votação ter sido oficialmente encerrada nos Estados com o mesmo fuso-horário de Brasília, em alguns locais o horário seria estendido para quem já estivesse na fila devido a atrasos provocados por alguns problemas com equipamentos de identificação por biometria.

Os primeiros resultados da apuração da votação presidencial só serão conhecidos após o encerramento da votação em todo país.

Os três principais candidatos à Presidência votaram logo pela manhã. Dilma foi a primeira dos três a votar, em Porto Alegre, mostrando bom humor e chegando a fazer o sinal de vitória. A presidente e candidata à reeleição reconheceu que trabalha com a definição da disputa presidencial em dois turnos.

"A hipótese que eu tenho trabalhado desde o início da eleição é de dois turnos. O resto, só as urnas vão definir o que acontecerá", disse Dilma, que votou vestida de vermelho e acompanhada do candidato à reeleição ao governo do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT).

Questionada sobre qual candidato prefere enfrentar na segunda rodada de votação, Dilma afirmou que "quem tem que preferir é o povo". Depois de votar na capital gaúcha, Dilma seguiu para Brasília, onde acompanha o desenrolar da eleição.

Aécio votou em Belo Horizonte, vestido de camisa azul. O ex-governador de Minas Gerais demonstrou confiança e posou para fotos fazendo sinais de positivo e de vitória, e declarou nunca ter deixado de acreditar que estaria no segundo turno.

"Eu nunca perdi a confiança, porque sempre compreendi que temos o melhor projeto para o Brasil, porque o sentimento de mudança que permeia a sociedade brasileira --e ele é amplo-- na verdade pressupõe não apenas a derrota do PT, que é essencial, mas a introdução de um projeto capaz de permitir o Brasil voltar a crescer", afirmou Aécio em entrevista coletiva.   Continuação...

 
Candidatos à Presidência Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB) em seus locais de votação, neste domingo. REUTERS/Edison Vara, Washington Alves e Sergio Moraes