Aécio diz que sentimento da mudança venceu 1º turno

domingo, 5 de outubro de 2014 22:39 BRT
 

(Reuters) - O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, comemorou sua chegada ao segundo turno da eleição contra a presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição, e afirmou que o sentimento da mudança venceu neste domingo.

Em pronunciamento em Belo Horizonte, capital do Estado que o elegeu duas vezes governador e uma vez senador, Aécio disse que a maioria dos votos no primeiro turno foi para candidatos que defendem a mudança em relação ao atual governo.

"A minha primeira constatação é de que esse sentimento de mudança, amplamente presente em todo o Brasil, já foi vitorioso no primeiro turno. Os candidatos de oposição somados foram vitoriosos, tiveram a maioria dos votos", disse. "E é isso que temos que buscar no segundo turno."

Mesmo sem citar o nome de Marina Silva (PSB), que até a reta final da campanha foi sua adversária direta na disputa pela segunda posição, o tucano se referiu ao fato de seus votos somados aos da ex-senadora superarem os obtidos por Dilma.

Com 99,5 por cento da apuração concluída pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Aécio e Marina tinham juntos 56,8 milhões de votos, contra 43,0 milhões de Dilma.

Em um gesto de aproximação à campanha do PSB, Aécio prestou uma homenagem a Eduardo Campos, que concorria à Presidência pelo partido, mas após a morte trágica em um acidente aéreo em agosto foi substituído por Marina, que concorria como vice.

"A ele e seus ideais e a seus sonhos também, a minha reverência, que nós saberemos juntos transformá-los em realidade", disse Aécio.

"Portanto é hora de unirmos as forças. A minha candidatura não é mais a candidatura de um partido político ou de um conjunto de alianças. É o sentimento mais puro de todos os brasileiros que ainda têm a capacidade de se indignar, mas principalmente a capacidade de sonhar", disse.

(Texto de Cesar Bianconi e Maria Pia Palermo)

 
Candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB) durante votação em Belo Horizonte. 5/10/2014 REUTERS/Washington Alves