Marina não quer compromisso "da boca para fora" de Aécio e não tem pressa para decidir

quinta-feira, 9 de outubro de 2014 13:32 BRT
 

Por Jeferson Ribeiro

BRASÍLIA (Reuters) - O apoio da candidata derrotada do PSB à Presidência, Marina Silva, ao candidato Aécio Neves (PSDB) pode demorar dias e ela não aceitará compromissos da "boca para fora" do tucano em troca do seu apoio.

"Não adianta ter pressa, a pressa não é nossa", disse à Reuters uma fonte próxima a Marina, sob condição de anonimato.

"Ele (Aécio) é que tem que convencer o eleitor e a Marina, que é uma eleitora em última instância", afirmou a fonte.

Marina havia anunciado que nesta quinta-feira participaria de reunião da coligação em Brasília para definir posicionamento sobre o segundo turno, mas decidiu aguardar uma resposta do tucano a suas propostas antes de se manifestar. Dos partidos da coligação, formada por PSB, PPS, PPL, PHS, PRP, PSL, o PSB e o PPS anunciaram antes do encontro o apoio a Aécio.

A ex-senadora quer, no entanto, que o tucano assuma compromissos com a sociedade sobre pontos específicos do seu programa de governo e que são diferentes das propostas do PSDB.

"Ele tem que assumir o compromisso, por exemplo, que não vai repassar responsabilidade sobre demarcação de terras indígenas para o Congresso, que isso vai continuar com o Executivo. Mas tem que ir lá assumir esse compromisso com os movimentos indígenas", disse a fonte.

"Ele tem que assumir o compromisso com o MST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra) de colocar uma meta para assentamentos", acrescentou.

"Ele vai ter que assumir compromisso com os setores da sociedade de que não vai defender a redução da maioridade penal", acrescentou a fonte, listando pelo menos três pontos do capítulo de direitos humanos do programa de governo de Marina, que são bem diferentes das posições do PSDB.   Continuação...

 
Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB) em debate de candidatos à Presidência. 16/09/2014 REUTERS/Paulo Whitaker