Aécio diz que aceita sugestões para programa de governo, mas não abdica do que acredita

quinta-feira, 9 de outubro de 2014 19:18 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, afirmou que seu programa de governo é "uma obra em permanente construção", mas disse que não pode abdicar do que acredita, ao ser questionado se faria concessões em troca do apoio da terceira colocada no primeiro turno, Marina Silva (PSB).

"Todas as sugestões que puderem aprimorar o nosso programa serão muito bem-vindas. Quando se busca um apoio no segundo turno, ele não pode nos levar também a abdicar daquilo que acreditamos que seja essencial para o país", disse o tucano a jornalistas nesta quinta-feira no Rio.

Emissários de Marina vão entregar à campanha de Aécio na sexta-feira, no Rio, um documento em que a ex-candidata condiciona o seu posicionamento individual ao tucano no segundo turno a uma lista de compromissos.

A posição de Marina pode, inclusive, divergir da postura adotada pela Rede Sustentabilidade, partido que ela tentou criar no ano passado, que se posicionou de modo “absolutamente consensual” contra a presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição e enfrenta Aécio no segundo turno, e “a favor das mudanças que o Brasil precisa realizar”.

Uma demanda que será feita por Marina a Aécio envolve a revisão da proposta de campanha do PSDB de reduzir a maioridade penal para reincidentes e crimes hediondos, tema que inclusive habitou programas eleitorais do tucano na TV.

Segundo Aécio, seu programa de governo não fala em acabar com a maioridade penal. "(A proposta) se refere à possibilidade de ouvir o Ministério Público, o promotor da criança e do adolescente naquele caso que o juiz possa considerar extremamente grave, que o juiz possa definir como processar com base no Código Penal", disse Aécio.

"Isso, na verdade, implicaria numa mudança do sistema atual para menos de 1 por cento dos jovens acima de 16 anos hoje em casas de correção, portanto, não é o fim da maioridade, essa é a proposta do senador Aluysio Nunes (vice na chapa de Aécio), que me parece que sinaliza na direção da diminuição da impunidade."

O tucano reiterou que vê mais semelhanças do que diferenças entre as propostas de Marina e as do PSDB.

"Há muito mais convergência entre aquilo que tenho ouvido e lido em relação a propostas não oficiais ainda da candidata Marina, de pessoas de seu círculo, muito mais afinidades do que divergências, mas não recebi ainda essas propostas", disse o tucano.   Continuação...

 
Candidato do PSDB à Presdiência, Aécio Neves, em entrevista no Rio de Janeiro. 9/10/2014  REUTERS/Ricardo Moraes