Aécio busca discurso sobre Bolsa Família e aposta em Pernambuco para crescer no Nordeste

sexta-feira, 10 de outubro de 2014 19:48 BRT
 

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) - O presidenciável do PSDB, Aécio Neves, terá de construir um discurso de fácil compreensão que afaste os temores de que ele possa acabar com o Bolsa Família e deve apostar no apoio do grupo de Eduardo Campos em Pernambuco para reduzir a vantagem da presidente Dilma Rousseff (PT) no Nordeste.

Segundo o coordenador da campanha de Aécio na região, o vice-governador de Alagoas, José Thomaz Nonô (DEM), o principal "bolsão de resistência" a Aécio no Nordeste está nas regiões que têm grande penetração do Bolsa Família, programa que o candidato do PSDB já prometeu por diversas vezes manter.

"Precisa de um discurso claro sobre a Bolsa (Família)", disse Nonô à Reuters. "Conseguindo isso, ele vence o último bolsão de resistência", avaliou.

Nas eleições presidenciais de 2006 e 2010, quando os tucanos Geraldo Alckmin e José Serra foram derrotados pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e por Dilma respectivamente, os temores de que vitórias tucanas significariam o fim do programa tiveram papel importante nas esmagadoras vitórias dos petistas na região, na avaliação do coordenador.

As regiões de maior presença do Bolsa Família no Nordeste são justamente aquelas em que há menor presença do Estado e, segundo Nonô, "a única coisa que chega é a bolsa" e que qualquer temor do fim do programa tem grande impacto.

"Precisa simplificar esse discurso", avalia. "Não precisa de nenhum discurso sofisticado, intelectualizado", acrescentou, lembrando que Aécio apresentou no Senado um projeto que transforma o Bolsa Família em política de Estado e que isso precisa ser levado à população.

No primeiro turno da eleição, Aécio teve 15,4 por cento dos votos válidos na região, enquanto Dilma venceu no Nordeste com 59,5 por cento e Marina Silva (PSB) teve 22,8 por cento dos votos válidos.

As primeiras pesquisas de intenção de voto para o segundo turno de Ibope e Datafolha mostram liderança folgada de Dilma no Nordeste: 59 a 32 por cento e 60 a 31 por cento, respectivamente.   Continuação...