China pretende estreitar laços militares com Irã, diz mídia chinesa

quinta-feira, 23 de outubro de 2014 10:11 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - A China quer ter laços militares mais estreitos com o Irã, disse o ministro da Defesa chinês ao comandante da Marinha iraniana, que estava de visita a Pequim, segundo informou a mídia estatal nesta quinta-feira, reafirmando assim as relações bilaterais apesar da controvérsia sobre os planos nucleares do Irã.

O ministro da Defesa chinês, Chang Wanquan, disse ao chefe da Marinha iraniana, contra-almirante Habibollah Sayyari, que as duas forças armadas têm mantido "uma boa cooperação em visitas mútuas, treinamento de pessoal e outros campos nos últimos anos", de acordo com a agência de notícias oficial da China, a Xinhua.

"O intercâmbio entre as duas Marinhas tem sido frutífero e seus navios de guerra fizeram visitas bem-sucedidas um ao outro", declarou Chang, segundo a agência.

"Chang enfatizou que a China está disposta a trabalhar com o Irã para aprofundar a cooperação pragmática e reforçar os laços entre os militares."

De acordo com a Xinhua, Sayyari disse que o Irã atribui grande importância às suas relações com a China e está "pronto para reforçar os intercâmbios bilaterais para fazer avançar a cooperação entre as duas forças armadas, especialmente a cooperação naval".

Pela primeira vez na história, dois navios de guerra chineses atracaram no porto de Bandar Abbas, do Irã, para participar de exercícios navais conjuntos no Golfo Pérsico, informou a mídia estatal iraniana em 20 de setembro.

A cooperação naval entre o Irã e a China é destinado a reforçar a capacidade militar do Irã no Golfo Pérsico, dizem os analistas, bem como exibir o plano da China de exercer maior influência e presença para além da Ásia.

(Reportagem adicional de Parisa Hafezi em Ancara, Reportagem de Ben Blanchard)

 
Ministro da Defesa chinês, Chang Wanquan, durante visita ao Pentágono, nos EUA, em foto de arquivo. 19/08/2013 REUTERS/Yuri Gripas