Endividada, Caterham demite 230 funcionários, mas corre em Abu Dhabi

domingo, 16 de novembro de 2014 16:10 BRST
 

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - A equipe de Fórmula 1 Caterham demitiu 230 funcionários, mas ainda planeja disputar o Grande Prêmio de Abu Dhabi, prova da semana que vem que encerra a temporada, declarou um administrador neste domingo.

Finbarr O'Connell disse à Reuters que a escuderia, que sofreu uma intervenção no mês passado, irá levar uma equipe de 40 pessoas ao circuito de Yas Marina, cujas despesas serão pagas com o dinheiro arrecadado por meio de crowdfunding (financiamento colaborativo).

Até sexta-feira a Caterham tinha arrecadado 1,92 milhão de libras esterlinas, das 2,35 milhões de libras que necessita, e o prazo final da iniciativa foi prorrogado até a meia noite do próximo domingo, 23 de novembro, mas a equipe ainda enfrenta um futuro incerto.

O'Connell afirmou que as demissões foram a pedido da maioria da equipe, que desejava abrir um processo formal de queixa que leva pelo menos um mês antes que qualquer pagamento seja feito se a escuderia não for vendida.

"Vamos a Abu Dhabi correr e conversar com compradores em potencial, já temos reuniões agendadas lá", disse. "O que ocorre em paralelo é que ao mesmo tempo as queixas estarão sendo levadas adiante".

"O melhor desfecho seria a demissão do quadro de funcionários, o pagamento de salários atrasados, e se alguém se manifestar (e comprar a equipe) seriam pagos novamente", explicou.

O'Connell reconheceu estar em uma 'corrida contra o tempo', mas haver quatro ou cinco interessados com os fundos necessários, inclusive um que seria uma "oportunidade fenomenal" se desse certo.

A equipe da fábrica de Leafield, no centro da Inglaterra, não é paga desde o final de setembro e trabalhou sem receber salário nas sete últimas semanas na tentativa de manter a escuderia viva.

A rival Marussia, que também passou por uma intervenção em outubro, parou de negociar com os cerca de 200 funcionários dispensados.

As duas equipes ficaram de fora dos GPs dos Estados Unidos e do Brasil, deixando um grid de largada de nove escuderias e 18 carros.