ATUALIZA 1-Ana Botín reformula direção do Santander, substitui presidente

terça-feira, 25 de novembro de 2014 16:38 BRST
 

MADRI (Reuters) - A chefe Santander, Ana Botín, reformulou a administação do maior banco da zona do euro nesta terça-feira, marcando uma nova fase no grupo após ter assumido a direção da instituição financeira espanhola no lugar de seu pai, em setembro.

Entre as mudanças anunciadas por Botín está a decisão de substituir o presidente-executivo Javier Marin pelo vice-presidente financeiro José Antonio Alvarez. A mudança foi vista por investidores como sinal de que a executiva de 54 anos está imprimindo sua marca no banco que tem sido atingido por uma crise econômica de cinco anos na Espanha.

A nova equipe de administração do Santander, que assume em 1o de janeiro, vai precisar mostrar que o banco pode reduzir custos e melhorar sua estrutura de capital, mantendo sua posição de liderança na Europa e expandindo para novos mercados como Estados Unidos e Leste Europeu.

Uma parte importante da reestruturação visa a reduzir temores de investidores de que o conselho do Santander não era independente o bastante. O banco também anunciou que dois diretores independentes vão renunciar e serão sucedido por novos executivos. Além disso, a nova posição de diretor independente líder foi criada e será ocupada por Bruce Carnegie-Brown, 54.

Carnegie-Brown vinha sendo considerado como um dos favoritos para assumir a presidência dos negócios do Santander no Reino Unido. A nova posição é considerada como efetivamente independente de liderança do conselho. Alguns bancos começaram a criar o posto na sequência da crise financeira internacional e tem como objetivo fomentar a responsabilidade.

"As mudanças no Santander são uma mensagem clara de Ana Patricia (Botín) de dizer que 'eu estou no comando' e para mostrar quem tem as rédeas. Ela está implementando mudanças em todos os níveis do banco", disse Enrique Quemada, presidente-executivo do banco de investimento ONEtoONE.

"As indicações tornam o conselho mais internacional e envolvem a promoção de pessoas que trabalharam com ela no Reino Unido, como Bruce Carnegie-Brown."

Quando assumiu o conselho do Santander em setembro, ela afirmou que defenderia o legado de seu pai no banco, como a presença global do Santander, política generosa de dividendos e foco nos clientes.

Mas o anúncio desta terça-feira demonstrou mais uma vez que seu estilo de gestão é uma mudança clara em relação ao seu pai.   Continuação...