Não bloqueamos as reformas da Fifa, diz Uefa

terça-feira, 30 de junho de 2015 12:06 BRT
 

PRAGA (Reuters) - A Uefa reagiu às afirmações de que a organização responsável pelo futebol europeu e outras confederações continentais foram responsáveis por bloquear reformas para limpar a Fifa.

O secretário-geral da Uefa, Gianni Infantino, disse que já existem mecanismos suficientes para garantir que apenas dirigentes com ficha limpa sejam eleitos para os comitês da Fifa, que está assolado por escândalos de corrupção.

Seus comentários foram feitos depois de Domenico Scala, que supervisiona as reformas da Fifa, pedir a criação de um comitê independente para realizar testes de integridade em membros do comitê executivo antes de tomarem posse.

Scala disse que as confederações bloquearam estas reformas e disse que suas "ações devem ser consistentes com seus discursos".

As confederações continentais, que elegem os membros do comitê executivo da Fifa, atualmente realizam testes de integridade, sistema que, segundo Infantino, deve continuar. "A Uefa e as federações europeias sempre foram a favor de reformas e sempre foram a favor de teste de integridade serem feitos nas confederações", disse a repórteres.

A Fifa está envolvida em um escândalo de corrupção investigado por autoridades norte-americanas que resultou na prisão de nove atuais e ex-dirigentes da entidade e cinco executivos de marketing esportivo, sob acusações de lavagem de dinheiro, fraude e subornos. Entre os presos está o ex-presidente da CBF José Maria Marin.

(Por Brian Homewood)

 
Secretário-geral da Uefa, Gianni Infantino, durante conferência em Praga.  30/06/2015   REUTERS/David W Cerny