Empresa de Miami é suspeita de pagamento de subornos em esquema de corrupção no futebol

sexta-feira, 10 de julho de 2015 09:24 BRT
 

Por Mica Rosenberg e David Ingram

NOVA YORK (Reuters) - Uma afiliada em Miami da gigante espanhola de mídia Imagina é uma das empresas de marketing esportivo indiciadas pelos Estados Unidos, mas não identificadas, sob suspeita de pagamento de suborno em um esquema de corrupção no futebol mundial, disseram fontes à Reuters.

A empresa citada é a Media World, uma subsidiária da Imagina US, de acordo com duas fontes familiarizadas com o assunto, que falaram à Reuters sob condição de anonimato. A Imagina US é uma filial do grupo Imagina, com sede em Barcelona.

A acusação não diz que a empresa –identificada apenas como "Empresa de Marketing Esportivo C"- pagou suborno, mas diz que concordou em fazê-lo e estava procurando uma maneira de efetuar o pagamento a um funcionário do alto escalão do futebol nas Américas.

A Media World, que compra e vende os direitos de transmissão de campeonatos de futebol e opera canais de TV voltados para o mercado hispânico dos EUA, não foi acusada de delito.

Em processos judiciais norte-americanas, os promotores às vezes apontam potenciais irregularidades cometidas por pessoas ou entidades, mesmo que não estejam prestes a acusá-las de um crime. Às vezes, a pessoa ou corporação nunca é formalmente acusada ou até mesmo citada pelos procuradores.

Um porta-voz da promotoria federal no Brooklyn, em Nova York, não quis comentar o caso.

Em 27 de maio, os promotores norte-americanos detalharam um esquema de mais de 150 milhões de dólares em supostos subornos pagos ao longo de mais de duas décadas, levando à prisão de alguns dirigentes do futebol, incluindo o ex-presidente da CBF José Maria Marin, e executivos, mergulhando em crise a federação mundial que coordena o esporte, a Fifa.

A acusação diz que a "Empresa de Marketing Esportivo C" acertou com a Traffic USA, empresa de marketing esportivo subsidiária da brasileira Traffic e arrolada na acusação dos EUA, dividir igualmente um suborno no valor de 3 milhões de dólares para Jeffrey Webb, na época dirigente da confederação regional de futebol, a Concacaf.   Continuação...

 
Ex-presidente da Concacaf Jeffrey Webb, acusado de receber suborno em esquema de corrupção da Fifa. 19/04/2013 REUTERS/Carlos Jasso