Militares dos EUA exumam restos mortais não identificados de vítimas de Pearl Harbor

terça-feira, 28 de julho de 2015 10:27 BRT
 

(Reuters) - Restos mortais de membros não identificados das Forças Armadas dos EUA mortos no naufrágio do USS Oklahoma durante o ataque do Japão a Pearl Harbor, na Segunda Guerra Mundial, foram exumados no Havaí na segunda-feira, em uma tentativa de identificá-los, informou o Departamento de Defesa.

Cinco caixões envoltos em bandeiras norte-americanas contendo os restos mortais de marinheiros e fuzileiros navais que morreram no ataque de 7 de dezembro de 1941 foram transferidos de um cemitério para um laboratório, onde serão analisados ​​com métodos forenses modernos, incluindo o teste de DNA.

Os restos estavam entre os de 388 militares que morreram no ataque e foram enterrados como desconhecidos. O Pentágono quer identificar todos eles nos próximos anos.

O novo esforço prevê a remoção dos restos de 61 caixões em 45 túmulos.

"Os recentes avanços na ciência forense e na tecnologia, bem como a assistência familiar no fornecimento de informação genealógica, já tornaram possível fazer identificações individuais de muitos militares mortos no USS Oklahoma e enterrados como 'desconhecidos’", disse o Departamento de Defesa em um comunicado.

Os restos de fuzileiros navais e marinheiros que forem identificados serão devolvidos a suas famílias para enterro com honras militares, informou o Pentágono.

Houve uma série de esforços de identificação nas décadas seguintes ao ataque surpresa em Pearl Harbor, que causou 2.403 mortes e levou os Estados Unidos a entrarem na Segunda Guerra Mundial.

O couraçado Oklahoma afundou ao ser atingido por torpedos, disse o Pentágono. Um total de 429 marinheiros e fuzileiros navais morreu no ataque.

(Reportagem de Victoria Cavaliere, em Los Angeles)