ONU alerta que fluxo de refugiados para a Europa é "ponta do iceberg"

sexta-feira, 25 de setembro de 2015 10:06 BRT
 

Por Tom Miles

GENEBRA (Reuters) - O fluxo atual de quase 8 mil imigrantes por dia chegando à Europa pode ser apenas a ponta do iceberg e os governos têm de trabalhar para pôr fim à guerra civil síria para evitar deslocamentos maiores de pessoas, disse a agência de refugiados da ONU nesta sexta-feira.

"Eu não vejo isso diminuindo, não vejo parando. Quando muito, dá uma indicação, talvez, de que essa é a ponta do iceberg", afirmou Amin Awad, coordenador regional de refugiados do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), em entrevista à imprensa.

"(Será assim) enquanto não houver solução para a Síria, enquanto não houver estabilização das condições de refugiados nos países vizinhos. Portanto, têm que ser feitos esforços."

Questionado sobre se a Europa deve preparar-se para mais alguns milhões de imigrantes, ele disse: "Se em poucos meses você tem mais de meio milhão, certamente isso poderia acontecer."

Os países terão de se unir em torno de uma abordagem global, disse ele, sugerindo que o ônus estava sobre os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, para que acabem com a guerra.

"Os governos que podem fazer a diferença são os governos que são os responsáveis ​​por influenciar o destino político e a segurança global do mundo hoje. Os líderes de nossa geração têm que se mover muito rapidamente para encontrar uma solução para o problema da Síria antes que se torne mundial."

Ele parabenizou a União Europeia pela decisão de contribuir com 1 bilhão de euros para o esforço humanitário da ONU, mas disse que não era o suficiente, e que a situação requer mais do que dinheiro.

A ONU também está se preparando para o agravamento da situação humanitária no Iraque, vizinho da Síria.

 
Refugiado sírio segundo criança ao tentar desembarcar na ilha grega de Lesbos.   24/09/2015   REUTERS/Yannis Behrakis