Guarda-costeira acha destroços que podem ser de cargueiro desaparecido nas Bahamas

domingo, 4 de outubro de 2015 16:38 BRT
 

MIAMI (Reuters) - Equipes de busca e resgate localizaram neste domingo destroços que aparentavam pertencer ao navio cargueiro El Faro, que desapareceu no olho do furacão Joaquin com 33 tripulantes, a maioria norte-americanos, a bordo, disseram a guarda-costeira dos EUA e a empresa proprietária do navio.

Coletes salva-vidas, contêineres e manchas de óleo foram encontrados pela guarda-costeira dos EUA e equipes que sobrevoaram a região das Bahamas, no terceiro dia de buscas pelo navio de contêineres.

A empresa dona do El Faro, a Tote Maritime, disse também que duas embarcações que enviou ao local do desaparecimento encontraram um contêiner "que parece ser do El Faro".

O próprio El Faro ou qualquer barco salva-vidas não foram vistos, disse o presidente da Tote Maritime Puerto Rico, Tim Nolan, em um comunicado.

"Nossos pensamentos e preces continuam com os 33 indivíduos a bordo do navio e suas famílias", acrescentou ele.

A guarda-costeira não pôde confirmar que os objetos encontrados eram do El Faro, que enviou uma mensagem de que estava com problemas na quinta-feira, nas Bahamas, sem fazer mais contatos desde então.

"Os restos estão espalhados por vários quilômetros", disse a o diretor da Guarda-Costeira e suboficial da Marinha Ryan Doss, lotado em Miami. "Vai levar algum tempo para verificar. Os itens parecem ser consistentes com o navio desaparecido."

O El Faro, um navio de contêineres de 224 metros, com 28 cidadãos norte-americanos e cinco poloneses a bordo, saiu de Jacksonville, na Flórida, em direção a San Juan, em Porto Rico, quando relatou ter perdido a propulsão e que estava fazendo água, disse a guarda-costeira.

(Por David Adams; reportagem adicional de Neil Hartnell, em Nassau)