Líder supremo do Irã proíbe negociações com Estados Unidos

quarta-feira, 7 de outubro de 2015 09:38 BRT
 

DUBAI (Reuters) - O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, baniu nesta quarta-feira quaisquer negociações futuras entre Irã e Estados Unidos, menos de três meses após a República Islâmica assinar um acordo nuclear com o Ocidente como resultado de anos de conversas lideradas pelos EUA.

Khamenei não endossou publicamente o acordo das potências, que foi uma vitória política para os moderados liderados pelo presidente iraniano, Hassan Rouhani. Extremistas dentro do Irã ainda tentam impedir o acordo.

Em um discurso para os comandantes da Marinha da Guarda Revolucionária, Khamenei disse que as conversas com os Estados Unidos levaram somente desvantagens ao país.

"Negociações com os Estados Unidos abrem portões para sua influência econômica, cultura, política e de segurança. Até durante as negociações nucleares eles tentaram afetar nossos interesses nacionais quando tinham a chance", disse Khamenei, de acordo com seu site.

Os comentários colocam o líder supremo em desavença como Rouhani, que espera normalizar as relações com o Ocidente e disse repetidamente que seu governo estava pronto para negociar com "qualquer um" para resolver problemas regionais.

O acordo de julho restringe o programa nuclear iraniano em troca da retirada de sanções. O Ocidente temia que Teerã estivesse buscando o desenvolvimento de uma arma nuclear. O Irã negou as suspeitas.

(Reportagem de Bozorgmehr Sharafedin)

 
Líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, em Teerã.  19/06/2009   REUTERS/Morteza Nikoubazl