Estado Islâmico assume responsabilidade por ataques que mataram 129 em Paris

sábado, 14 de novembro de 2015 18:18 BRST
 

Por Ingrid Melander e Marine Pennetier

PARIS (Reuters) - O Estado Islâmico assumiu neste sábado a responsabilidade pelos ataques coordenados de homens com armas de fogo e bombas que mataram 129 pessoas em diversos pontos de Paris, e que o presidente francês, François Hollande, disse que equivaliam a um ato de guerra contra a França.

Segundo o promotor público de Paris François Molins, os ataques que mataram 129 pessoas na noite de sexta-feira parecem ter sido feitos por até três equipes.

"Nós podemos dizer neste estágio das investigações que houve provavelmente três times coordenados de terroristas por trás destes atos de barbárie", afirmou ele em conferência de imprensa.

No pior dos ataques, a promotoria afirmou que homens armados assassinaram a tiros de forma sistemática pelo menos 89 pessoas numa apresentação de rock na casa de shows Bataclan, antes de policiais antiterroristas lançarem um ataque ao prédio. Dezenas de sobreviventes foram resgatados. 

Cerca de 40 pessoas foram mortas em cinco outros ataques na região de Paris, afirmaram as autoridades, incluindo um aparente duplo atentado suicida a bomba do lado de fora do estádio nacional Stade de France, onde Hollande e o ministro do Exterior alemão assistiam a um jogo amistoso internacional de futebol.

Segundo o promotor, 352 pessoas ficaram feridas, das quais 99 continuam em estado crítico.

Os ataques se deram em um momento em que a França, integrante fundadora da coalizão liderada pelos Estados Unidos que realiza ataques aéreos contra o Estado Islâmico na Síria e no Iraque, estava em estado de alto alerta para ataques terroristas.

Essa foi a pior ação desse tipo na Europa desde os ataques a bomba aos trens de Madri em 2004, quando 191 pessoas morreram.   Continuação...