Importações de petróleo da China batem recorde em meio a derrocada dos preços

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016 12:00 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - As importações de petróleo da China atingiram um recorde de 7,82 milhões de barris por dia (bpd) em dezembro, segundo dados da alfândega, conforme o segundo maior consumidor da commodity no mundo aproveita os baixos preços para acumular reservas estratégias, mas também aumenta as exportações de combustíveis refinados para uma alta histórica.

As importações de petróleo em dezembro foram de 33,19 milhões de toneladas, alta de 21,4 por cento no mês e de 9,3 por cento no ano, bem acima de estimativas anteriores da Thomson Reuters Oil Research and Forecasts.

Os dados de importação de dezembro podem significar que a China desafia os Estados Unidos para ter a posição de maior importador de petróleo do mundo, embora a Administração de Informações de Energia (AIE) ainda não tenha disponibilizado dados de dezembro dos EUA. As importações mensais chinesas só ultrapassaram as norte-americanas uma vez, em abril de 2015.

A China embarcou 335,5 milhões de toneladas de petróleo no ano passado, mostraram dados nesta quarta-feira. Isso é uma alta de 8,8 por cento, ou cerca de 542,6 mil bpd, para 6,71 milhões de bpd, também um novo recorde.

O vice-presidente do conselho da FGE Asia, Wu Kang, disse que os dois fatores por trás desse crescimento em 2015 foram a nova demanda por refinarias pequenas e independentes, que ganharam direito de usar petróleo importado mais ao final do ano, e uma estocagem de reservas estratégicas e comerciais.

"O ano de 2016 pode ser mais interessante, uma vez que esses dois fatores devem se tornar mais poderosos conforme o governo reduz os controles tanto para as importações de petróleo quanto para as exportações de combustível, em um ritmo mais rápido que se imaginava", disse Wu.